"Se não lutarmos juntos pelo IPSM, correremos o risco de perder o que construímos de mais precioso na Polícia e Corpo de Bombeiro Militar"

A Comissão de Segurança Pública da Assembleia esteve hoje (22/02) no Hospital da Polícia Militar de Minas Gerais (HPM) para verificar as condições de funcionamento e os recursos disponíveis para realização e manutenção dos atendimentos. Diante do rombo de quase R$ 3 bilhões provocado pelo não repasse de recursos do Governo para o IPSM, vários convênios estão sendo cortados por falta de pagamento, principalmente no interior do Estado. O montante desviado inclui contribuições patronais e valores que são descontados no contracheque dos servidores.

Os deputados estaduais Sargento Rodrigues, presidente da Comissão, e João Leite, além do deputado federal Subtenente Gonzaga e dos presidentes das entidades de classe, ASPRA, CSCS e ASCOBOM, foram recebidos pelo Diretor de Saúde da PM, Coronel Márcio Flávio de Moura Linhares, e pelo Diretor do HPM, Tenente Coronel PM André Luiz Dias Machado. Também acompanharam a reunião o Major Lousada, e as Tenentes Coronéis Cláudia, médica pediatra e Rúbia, chefe de enfermagem do hospital.

Esta é a segunda vez que a Comissão visita o Hospital. A primeira delas foi em 2015, quando já havia dificuldades em razão da restrição orçamentária, com consequente piora nas condições de atendimento. Sargento Rodrigues esclareceu que o volume de reclamações sobre a falta de atendimento médico e odontológico no interior tem aumentado consideravelmente nos últimos meses. São inúmeros os relatos que chegam, tanto em seu gabinete como para as entidades de classe. Com isso, cresce também a preocupação em relação à capacidade de atendimento da rede orgânica da PM, já que os militares e seus dependentes acabam precisando recorrer à capital.

O HPM atende hoje cerca de 2 mil consultas por dia e tem em torno de duzentos pacientes internados. O Coronel Linhares tentou tranquilizar os deputados, garantindo que o valor referente à manutenção da rede orgânica está sendo repassado em dia pelo IPSM ao hospital. O deficit é justamente da parte que cabe ao Governo repassar para o Instituto, destinado ao pagamento da rede de convênios e credenciados.

Sargento Rodrigues reforçou que a maior preocupação que tem hoje é sobre como caos que está se instalando no interior impactará no HPM e nos Núcleos de Atenção à Saúde – NAIS. “Com os cortes dos convênios, por falta de pagamento, a tendência é que os militares tenham que se deslocar até as cidades polos, em casos mais simples, e até a capital, para procedimentos mais elaborados. Além de problemas logísticos para atendimento dessa excedente demanda, não podemos ignorar o risco para a saúde, em casos mais complexos, que esse deslocamento representa e o custo que o servidor, que já paga pelo serviço, terá com o deslocamento”, ressaltou.

O deputado citou o caso de um policial militar destacado no Norte de Minas, que teve que se deslocar com a família até Montes Claros para buscar atendimento para seu filho, de apenas 19 dias, e para sua esposa, que está com problemas de saúde pós-parto, levando com eles o outro filho, de pouco mais de dois anos de idade. Chegando lá, tiveram atendimento negado nas especialidades procuradas, pois o convênio estava suspenso por falta de pagamento. “Já imaginou o desespero desse militar, que antes de tudo é um ser humano e pai? Qual a segurança emocional ele tem para assumir seu posto e cuidar da segurança da população? A sociedade também pagará pelo calote que o Governo Estadual está dando no IPSM! Precisamos pensar sobre isso”, ressaltou.

Diante da situação, os deputados, bem como os presidentes das associações de classe que participaram da reunião, reforçaram a necessidade de que todos, do soldado ao coronel, estejam empenhados em cobrar do Governo o pagamento da dívida. “Se não lutarmos juntos pelo IPSM, correremos o risco de perder o que construímos de mais precioso na Polícia e Corpo de Bombeiro Militar”, conclamou Sargento Rodrigues, ressaltando que, até o momento, os Comandantes da Polícia e do Corpo de Bombeiros não fizeram sequer uma manifestação em favor do Instituto. Ele fez questão de deixar claro ao Coronel Linhares, ao Tenente Coronel André Luiz e demais membros do HPM presentes que o principal objetivo da Comissão é conhecer a realidade da assistência à saúde dos militares de Minas para, então, somar esforços em busca das melhorias e soluções para as atuais dificuldades.

Voltar

Biografia

História

Washington Fernando Rodrigues, o Deputado Sargento Rodrigues, nasceu no dia 30 de maio de 1964, em Itupeva/BA, e é o sexto de sete filhos. A família mudou-se para Belo Horizonte em 1968, quando, aos quatro anos de idade, Rodrigues tornou-se órfão de pai.
Oriundo de uma família humilde, começou a trabalhar aos 13 anos como vendedor ambulante de jornal e aos 15 trabalhou como auxiliar de produção da Ranel Bijouterias. Com 16 anos, foi vigilante mirim do Centro Salesiano do Menor – CESAM e, aos 18, office boy e auxiliar de tesouraria na Cisa Veículos.

Bacharel em Direito pela Una (2011) e Comunicação Social - habilitação em Produção Editorial, pelo Uni-BH (2004). Pós-graduado em Estudos de Criminalidade e Segurança Pública, pela UFMG.

Chegada da família do deputado Sargento Rodrigues a Belo Horizonte Fotografia atual com os familiares do deputado Sargento Rodrigues

Polícia Militar

Ingressou na carreira policial militar aos 20 anos, como soldado no Batalhão de Trânsito, onde permaneceu por três anos. Após ter sido aprovado no concurso para Cabo, foi transferido para o 5º Batalhão, no qual obteve o primeiro certificado de destaque operacional de sua carreira Policial. Devido ao empenho no exercício da profissão, foi transferido para o antigo Batalhão de Choque, para atuar na Companhia ROTAM. Em 1989, foi para a Academia de Polícia Militar e, em julho do mesmo ano, se formou Sargento, permanecendo na ROTAM até 1993. Nesse ano, passou a trabalhar no COPOM – Central de Operações da Polícia Militar, como operador de rádio. Em junho de 1997, voltou para o 5º BPM, no rádio-patrulhamento.

Vida Política

Antes mesmo do Movimento de 1997, Rodrigues já se interessava pela carreira política, por acreditar que era a única forma de lutar contra as injustiças e por melhores condições de trabalho para os militares mineiros, sem ser perseguido e tolhido por superiores.
Munido por esse sonho, candidatou-se a vereador em Belo Horizonte no ano de 1996, pelo PMN. Obteve 2.674 votos, ficando como primeiro suplente. Já naquela época, apesar do anonimato, Rodrigues foi o policial mais votado do Estado.

Primeiro mandato - Em 1998, desempregado, mas já conhecido como Líder do Movimento Reivindicatório dos Praças da PMMG, candidatou-se a Deputado Estadual pelo PL e foi eleito com 74.594 votos, consagrando-se o segundo deputado mais votado do Estado.

Segundo mandato - Foi reeleito pelo PDT, com 78.183 votos. No biênio 2003/2004, presidiu a Comissão de Segurança Pública da Assembléia Legislativa de Minas Gerais, da qual também foi membro efetivo nos anos de 2005 e 2006. Sargento Rodrigues também fez parte da Comissão de Administração Pública.

Terceiro mandato – Foi reeleito pelo PDT, com 66.941 votos. Foi 3º Secretário da Assembleia Legislativa. No biênio 2007/2008, presidiu pela segunda vez a Comissão de Segurança Pública e foi membro efetivo da Comissão de Constituição e Justiça.

Quarto mandato – Foi reeleito pelo PDT, com 94.312 votos. Atualmente, é Líder da Bancada do PDT e presidente da Executiva Municipal do partido, além de membro efetivo das Comissões de Segurança Pública e de Direitos Humanos.

Rodrigues também foi membro do Conselho Estadual Anti-Drogas – CONEAD, nos anos de 2001, 2002 e 2003, e do Conselho de Defesa Social de Minas Gerais, em 2003 e 2004;

Quinto mandato – Foi reeleito pelo PDT, com 98.841 votos. É presidente da Comissão de Segurança Pública da ALMG e presidente do Partido Democrático Trabalhista de Belo Horizonte (PDT-BH).

Movimento Grevista de 1997

Movimento Grevista de 1997No dia 13 de junho de 1997, a Polícia Militar mineira saiu às ruas para reivindicar seus direitos, fato este que se tornou parte da história de Minas. O Movimento nasceu do sofrimento vivido pelos policiais que clamavam por justiça e igualdade.

O Sargento Rodrigues, um dos líderes de Movimento, foi aclamado pelos praças, na Praça da Liberdade, para fazer parte da Comissão de Negociação e se destacou pela coragem e determinação em defender os interesses da classe.

Por liderar esse Movimento histórico, foi expulso da PMMG, juntamente com outros 185 Companheiros.

Atuação na ALMG

Legislatura

Projetos de lei, projetos de resolução, propostas de emenda à constituição, requerimentos

Para saber tudo o que aconteceu depois da eleição do Sargento Rodrigues, convidamos você a navegar em nossa página e acompanhar todo o trabalho parlamentar deste deputado. Aqui você poderá conhecer não só suas atividades na Assembléia – tais como projetos apresentados, participação em Comissões e CPIs, intervenções da Tribuna – mas também suas ações no exercício da função político-parlamentar, que engloba, entre outras coisas, os atendimentos de gabinete e agenda externa.
Conheça nosso trabalho e participe ativamente, com críticas e sugestões.

LEGISLATURAS ANTERIORES
LEGISLATURA ATUAL

Pronunciamentos

Discursos, questões de ordem e declarações de voto de autoria do Deputado Sargento Rodrigues

LEGISLATURAS ANTERIORES

LEGISLATURA ATUAL

Comissões

Presidente da Comissão de Segurança Pública - desde 2015
Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência - de 05/05/2011 a 22/05/2012

Relator:
Com. Esp. Indicação de Jorge André Periquito para o cargo de Presidente da Utramig - de 23/3/2011 a 7/4/2011

Efetivo:
Comissão de Defesa do Consumidor e do Contribuinte - desde 8/4/2016
Comissão de Segurança Pública - de 23/02/2011 a 31/01/2013
Proposta de Emenda à Constituição nº 4/2011 - desde 28/2/2011
Proposta de Emenda à Constituição nº 7/2011 - desde 28/2/2011
Proposta de Emenda à Constituição nº 11/2011 - desde 17/3/2011
Com. Esp. Indicação José Élcio Santos Monteze para o DER - de 17/3/2011 a 23/3/2011
Com. Esp. Indicação de Jorge André Periquito para o cargo de Presidente da Utramig - de 17/3/2011 a 7/4/2011
Proposta de Emenda à Constituição nº 14/2011 - desde 1/4/2011
Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência - desde 14/4/2011
Proposta de Emenda à Constituição nº 16/2011 - desde 16/4/2011
Com. Esp. Indicação Ricardo Afonso Raso para a Ademg - de 3/6/2011 a 21/6/2011
Membros das Comissões Permanentes - § 1º do Art. 204 do Regimento Interno - desde 1/7/2011
Proposta de Emenda à Constituição nº 24/2011 - desde 1/7/2011

Suplente:
Comissão de Constituição e Justiça - desde 8/4/2016
Comissão de Direitos Humanos
Comissão de Saúde - desde 20/02/2013
Trabalho, da Previdência e da Ação Social - de 23/02/2011 a 31/01/2013
Direitos Humanos - de 21/11/2012 a 31/01/2013
                                     de 23/02/2011 a 22/05/2012
Fiscalização Financeira e Orçamentária - de 23/02/2011 a 31/01/2013
Proposta de Emenda à Constituição nº 49/2013 - desde 28/03/2013
Proposta de Emenda à Constituição nº 19/2011 - desde 3/6/2011
Proposta de Emenda à Constituição nº 21/2011 - desde 3/6/2011

capa resultado

Conheça as principais ações
do Deputado Sargento
Rodrigues desenvolvidas ao
longo de cinco mandatos na
ALMG.

Veja mais informativos

Entre em contato com o Deputado Sargento Rodrigues

Para enviar uma mensagem ao deputado Sargento Rodrigues, use o e-mail oficial: dep.sargento.rodrigues@almg.gov.br

Ações Sargento Rodrigues

GABINETE

Rua Rodrigues Caldas, 79 | Edifício Tiradentes
5º andar | Sala 2 | Bairro Santo Agostinho
Belo Horizonte/MG | CEP: 30190-921
Tel: 31 2108-5200 | Fax: 31 2108-5201

Será um prazer receber sua mensagem e agradecemos a sua participação. Aproveite e cadastre-se para receber em seu e-mail as últimas notícias sobre o mandato do deputado Sargento Rodrigues.