Polícia Militar desarticula quadrilha especializada em roubos de carros em MG

Polícia Militar (PM) desarticulou, na noite desta quinta-feira (23), em Sabará, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, uma quadrilha especializada em roubo de carros. O grupo foi localizado depois que um dos integrantes tentou cometer mais um crime. Quatro homens foram presos, dois carros recuperados e várias armas apreendidas.

Inicialmente, os policiais da Rotam prenderam um suspeito, Rogério Júlio Ribeiro, e, por meio dele, os militares chegaram até os outros três suspeitos. Segundo a PM, na tarde desta quinta o rapaz foi até uma concessionária no Centro de Sabará e disse que queria trocar o carro. Ele deixou o veículo na rua e saiu com o dono da loja para fazer o test drive em uma caminhonete. No caminho, ele anunciou o assalto.

“Ele perguntou se eu estava com celular no bolso ou na mão. Eu falei que não, ele pegou e virou para mim e falou comigo: ‘olha, perdeu! Perdeu! Você desce, desce, e apontou um revólver pra mim, desce, desce, que a caminhonete eu vou levar ela", contou o empresário Elisberto Ferreira.

A PM foi chamada e houve perseguição. Na altura do bairro Goiânia, na Região Nordeste de Belo Horizonte, o suspeito perdeu o controle do carro e, bateu em uma placa de sinalização. Em seguida, ele abandonou a caminhonete e fugiu para dentro de uma casa.

“Ele conseguiu se esconder debaixo de uma bancada, atrás de um botijão de gás... não dava para ninguém ver. O tirocínio do cabo Alves aí é que conseguiu localizar ele, porque até a camisa dele era da cor do botijão”, contou o sargento Flávio Martins.

O rapaz já foi detido antes pelo mesmo crime. Com ele, os policiais encontraram vários documentos de carros. O celular do também foi apreendido. Nele, os policiais encontraram mensagens que indicavam que o homem pertenceria a uma quadrilha de roubo de carros. “Tem fotos dele trocando placas de carros, filmando determinados carros na MG-10”, contou o policial.

Os militares seguiram para uma casa em Lagoa Santa, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Lá, encontraram os irmãos Higor e Fredson de Souza Heredia, de 22 e 28 anos. Havia também quatro rodas de carro e uma peça de som automotivo.

“Eles passaram nas mensagens do WhatsApp é que os carros eram levados para uma fazenda, para esperar esfriar. Somente que a gente não conseguiu descobrir onde era essa fazenda”.

A partir das mensagens trocadas no aplicativo a polícia também chegou a outro suspeito no bairro Prado, na Região Oeste da capital. Com Daniel Costa Silva, de 32 anos, os militares encontraram uma carabina calibre 44, dois revólveres calibres 32 e uma garrucha de fabricação caseira.

“Na verdade, o Daniel tem parte com esses bandidos, que ele fornece as armas para ele. E ele começou a falar da venda que o pai dele fez, de um terreno de dois milhões. Até no WhatsApp dos bandidos tinha que a próxima vítima seria o pai do Daniel, ou seja, o Daniel estava fornecendo arma para o pessoal fazer os assaltos e a próxima vítima seria o pai dele”, contou o sargento.

O pai do suspeito – que é produtor rural – esteve na delegacia, disse que as armas são dele e que são registradas. “Eu tinha, quando eu tinha a fazenda lá eu tinha. Então eu trouxe elas para consertar e levei para aqui, para o Prado, numa residência aqui”.

Ele negou saber que o filho utilizava as armas para cometer crimes. “Pelo que parece o pai dele não sabia não. O mentor dessa situação, de fornecer as armas aí é o Daniel”, disse o policial.

Quando foi informado pelos policiais de que seria alvo do próprio filho, ele desabafou. “Uai... se for verdade, verídico mesmo isso aí, eu estou sendo traído, né?”, falou o produto rural Jânio Salvador. “Não foi esse exemplo que eu dei para ele, né? Sempre trabalhei na roça, mexendo, produzindo”.

Segundo os militares, Daniel já foi preso por porte ilegal de arma. A polícia já tem os nomes de outros suspeitos e dará continuidade à investigação.

Por Bom Dia Minas, Belo Horizonte

NOTÍCIAS IMPORTANTES